Sempre fui muito relutante quando o assunto é falar sobre o meu peso, aliás ainda fico muito desconfortável sobre esse assunto, mas quanto mais falamos sobre algo menos tememos ela, não é mesmo? Afinal, Ser ou estar gorda é apenas uma das milhares de possibilidades que eu posso ser, então essa não deveria ser a minha principal preocupação.

Desde sempre eu me lembro como sendo uma pessoa encorpada, eu era aquela típica criança mais alta e maior, aquela de osso largos. Enquanto as outras crianças estavam tomando Biotônico para ganhar peso, eu não precisava fazer nada, e em ambos os casos está tudo bem. Ser grande não era um problema para mim, ou melhor, não deveria ser, mas você sabe muito bem como as coisas são.

Em 2001 foi quando eu comecei a perceber em certos momentos que algumas pessoas me tratavam um pouco diferente, e olha que eu tinha apenas 7 anos. Eu não era uma criança gorda e nem magra, era uma criança normal, mas isso não fez com que eu não sofresse algum tipo de preconceito, ou era por ser a mais esperta da sala, ou por usar óculos, ou por ser "gorda", e só hoje eu consigo ter clareza disso.

"O número que você representa, seja ele em Centímetros ou Kg vai definir como as pessoas e o mundo te tratará."

Poucos anos depois surgiu a oportunidade de participar de um desfile para uma loja de departamento muito importante na época, e eu prontamente falei para minha mãe que eu queria participar e ela atendeu meu pedido me levando para a seleção. Chegando lá me disseram: "Você é loira, tem olhos claros, mas está um pouquinho acima do peso". Na hora não entendi muito bem a relação entre  loira-olhos-claros-e-acima-do-peso, mas depois de dar uma boa olhada  ao meu redor, mesmo com pouca idade eu entendi o que aquela moça quis dizer.

Eu poderia ter tido várias reações, mas eu simplesmente desfilei e ela viu que eu tinha carisma e sabia desfilar muito melhor do que as outras crianças. Participei de 4 aulas para entender melhor o contexto de desfiles de moda e desfilei. No começo eu queria participar só por querer, mas depois foi pra poder provar que eu era boa. Aquela Sara destemida cresceu, e não continuou sendo tão destemida assim. e desde então o peso na balança foi se tornando o principal protagonista da minha história, mesmo não devendo ser.



Você é super interessante, mas...

Na adolescência fui apelidada de "Sara gorda" , "Baleia" , "Rolha de Poço" ou "Madimbu", e  por mais que eu tivesse diversas qualidades,  nenhuma seria tão boa ao ponto de "superar" o fato de eu ser gorda. Os anos foram se passando e aquela Sara cresceu, e de pouco em pouco eu fui passando de uma pessoa extrovertida para uma pessoa introvertida e com zero auto estima.

Eu sempre me senti incapaz para algumas coisas e isso acabou refletindo em outros campos da minha vida, chegando ao ponto de eu não saber lidar com elogios. Sempre que alguém enxergava algo bom em mim ou diziam "Nossa, você é linda", eu achava que era média, ou dizer por dizer e que aquela pessoa não achava aquilo de verdade. E isso ainda me afeta, mesmo que hoje eu esteja lutando para mudar, mas não é algo tão simples assim.

Basta pesquisar no Google "Ser gorda é":














FRASES QUE TODa GORDa JÁ OUVIU: 

- É gorda por que quer, é só fechar a boca que emagrece
- Você é tão bonita de rosto
- Você: a 
- Médico: você está acima do peso, recomendo que você perca alguns quilos pela sua saúde
- Sua gorda! (como se isso fosse uma ofensa) 
- Desculpa, mas não trabalhamos com sua numeração.
- Pessoas gordas são tristes, doentes e não são sexualmente ativas
- Essa roupa não combina com você. (Se referindo a um short, saia, vestido ou um Cropped, por exemplo)

Eu poderia ficar horas aqui listando.  

na realidade ser gorda é:

- Ser uma pessoa com duas pernas, dois olhos, dois braços, assim como outra qualquer
- Não significar estar doente por conta do seu peso
- Uma palavra e não um um xingamento
- Não ser fetichizada por conta do seu peso

A internet está me ajudando muito com relação a minha aceitação e a construção do meu amor próprio. Ela me fez conhecer mulheres incríveis e todas diferentes uma das outras, mas todas com algo em comum, são gordas. É extremamente importante ser representada e encontrar pessoas para se inspirar, ainda mais hoje em dia.

Mulheres incríveis para se inspirar






Na ordem: Luiza Junqueira / Maria Luiza / Ray Neon / Jacque Jordão / Julia Vecchi / Jéssica Lopes / Isabella Trad / Alexandra Gurgel

Me chamo Sara, tenho 24 anos, sou formada em Publicidade e atualmente trabalho como Social Media de um banco digital. Já ganhei várias bolsas de estudo e prêmios, já participei de inúmeros projetos sociais, já trabalhei em vários lugares. Aprendi tocar e cantar sozinha, assim como a programar. Sou comunicativa, criativa, engajada, curiosa e estou 25 Kg acima do meu "peso ideal", mas o meu peso é apenas um item dentro de vários outros.

texto originalmente publicado em Junho de 2015 e atualizado em Junho de 2019